Eu acho que foi a coisa mais estúpida que eu fiz durante todo o meu relacionamento. Foi terrível. Infligi uma dor tremenda a Maria e uma dor inacreditável às crianças.

 

Arnold Schwarzenegger
Ator e ex-governador da Califórnia, 65 anos, sobre o caso que teve com a então governanta de sua casa, Mildred Baena, que resultou num filho e no fim de seu casamento com Maria Shriver.
Setembro 2012

Arnold Schwarzenegger - Foto: FameFlynet Pictures



Novamente, o foco dos acontecimentos é a traição conjugal. E ainda o será por vários milhares de anos, pela simples razão que o ser humano, em sua essência, não é um ser monogâmico. Pode adotar um comportamento assim por imposição de algumas regras sociais, mas seu instinto mais puro sempre o fará buscar a variabilidade sexual. Pode ser ainda que, talvez devido ao ambiente onde vivia ou oportunidades escassas, não encontre parceiros sexuais em número suficiente ao que gostaria, mas o desejo estará sempre impresso em sua mente, a todo momento. O ser humano consegue, não raro, controlar vários desejos nocivos que invadem sua alma, reduzindo-os a níveis mínimos ou mesmo erradicando-os, mas jamais conseguirá controlar seus instintos. Nesse caso ocorre o inverso, pois são os instintos que controlam a pessoa e não há como negar a própria existência. Os instintos somos nós e nós somos os instintos. Como então lidar com um instinto que afronta todas as regras sociais e morais que há séculos já estão firmemente estabelecidas para uma vida regular em sociedade e uma harmonia conjugal? A maneira encontrada por todas as pessoas para isso foi simples: a ocultação das atitudes. Se a sociedade reprova, basta que ela não saiba de nada. Se o cônjuge não aceita, basta que não tome conhecimento. E dessa forma vem caminhando a humanidade há vários milhares de anos e assim continuará seu caminho por outros milhares, até que um dia o homem alcance uma evolução de tal nível que possa aceitar e entender seus instintos, igualmente o fazendo com os de seu par conjugal.

Arnold Schwarzenegger, como mostra em seu desabafo, é um excelente exemplo de tudo isso. Fisiculturista, ator bem sucedido, ex-governador do estado da Califórnia, dono de grande fortuna, até pouco tempo muito bem casado e pai de quatro filhos. Uma vida exemplar, talvez invejada por muitos. O desastre em sua vida pessoal ocorreu quando veio à tona o fato de possuir um filho já adolescente, fora de seu casamento, cuja mãe é a governanta que trabalhou em sua casa no final dos anos noventa, por sinal uma pessoa de grande confiança de sua então esposa. Ela teve um caso com ele, que poderia passar desapercebido como muitos outros que supostamente ele deve ter tido. O grande problema foi que ela engravidou e não lhe contou nada. Somente há pouco tempo, com o argumento de buscar o melhor para seu filho, ela revelou que o pai desse filho era justamente ele. Assim sendo, o filho passaria a receber grande aporte financeiro e ela, obviamente, também passaria a desfrutar desse dinheiro. Tudo isso causou uma enorme reviravolta na vida do ator. Ele, que tinha grandes ambiçoes políticas, que já vinha trilhando seu caminho visando alcançar a presidência dos Estados Unidos, cargo para o qual seria um forte candidato, tendo em vista todo o escândalo que foi causado, teve que renunciar a vida pública e passar a encarar o que talvez seja o maior drama de sua vida, não tanto pelo novo filho, mas por todas as implicações que ele trouxe, entre elas a dissolução de seu casamento de vinte e cinco anos, todo o sofrimento causado para sua família, filhos e parentes relacionados.

Diante de todo esse contexto e da enorme catástrofe que uma simples traição causou na vida de várias pessoas, vale mencionar um exemplo de sociedade alternativa que, paralelamente, segue junto com a sociedade tradicional, caminhando lado a lado, mas sem que essa última oficialmente reconheça a existência da outra. É presente em várias partes do mundo, especialmente no lado ocidental, e cada vez atrái mais e mais adeptos a dela virem fazer parte e desfrutarem de seus deleites. É a sociedade swinger, onde a palavra traição não existe em seu dicionário. Nela, o objetivo maior de todos é unicamente o prazer sexual e a variabilidade de parceiros, onde para tal os casais se encontram e trocam entre si seus pares, mantendo fervorosas relações sexuais, na presença e com o absoluto consentimento de seus cônjuges. Pode parecer estranho aos olhos da sociedade convencional, mas é exatamente dessa forma que ocorre. Todos os dias, em várias partes do mundo, milhares de casais estão se encontrando e mantendo relações sexuais entre si, unicamente pelo prazer do sexo. Não há traição, não há ciúme, tudo ocorre com o consentimento de todos. O argumento de maior peso por eles utilizados é que "já que é inevitável que vá se relacionar com outra pessoa, que seja na minha presença e façamos juntos". São casais felizes? Obviamente que sim, caso contrário teriam abandonado esse estilo de vida. Quem pode garantir que a sociedade tradicional e ortodoxa está correta e eles estão errados? Vale frisar que é o próprio homem quem inventa e estabelece seus próprios parâmetros, de acordo com sua vontade. O certo e o errado são meras convenções, que hoje podem ser de uma maneira e amanhã de outra.


Próximo desabafo Desabafo anterior

VISUALIZAR DESABAFOS DE OUTROS ANOS

www.desabafodromo.com.br