Parecem ser injustos os salários que alguns atores podem ganhar para fazer um filme. Você pode ganhar até vinte e cinco milhões de dólares, enquanto um professor que trabalha duro durante sua vida toda ganha tão pouco pelos seus esforços.

 

Woody Allen
Cineasta, 76 anos, criticando os altos salários que ganham muitos dos atores de Hollywood.
Agosto 2012

Woody Allen - Foto: Bauer Griffin



Pode soar deveras materialista para muitas pessoas, mas a verdade é que, nesse mundo, o ser humano é absolutamente escravo do dinheiro. Por mais que determinada pessoa não queira aceitar o fato, por mais que tente exaltar certos padrões de pensamento religiosos, que pregam que devemos antes nos preocupar com o espírito para depois com as coisas materiais, a verdade é que de estômago vazio e com fome ninguém consegue se preocupar com o espírito. E, infelizmente talvez, sem dinheiro ninguém consegue comer. Essa é a realidade da vida, colocada de uma forma crua, sem aquelas conhecidadas maquiagens que algumas pessoas gostam de fazer. Muitos religiosos até poderiam argumentar que basta orar com fé e tudo o que se deseja será concedido. Não duvidamos do poder da oração, tanto porque já existem incontestáveis provas, muitas científicas, de que é algo que funciona e faz efeito na vida das pessoas, mas o que muitas delas não percebem, por estarem desmedidas em seu afinco pelo combate ao materialismo, é que mesmo para orar, é necessária uma certa quantia de dinheiro. Um livro de orações, roupas e transporte para se ir até alguma igreja ou templo, são exemplos de coisas e ações, vinculadas à oração, que dependem de dinheiro. As próprias igrejas e instituições religiosas, os movimentos evangelizadores e tudo o que for relacionado, depedem diretamente do dinheiro para sua sobrevivência e manutenção de seus trabalhos. Infelizmente, na vida que levamos, não há como não sermos escravos do dinheiro. Infelizmente, nascemos escravos e morreremos escravos do dinheiro. E diariamente, talvez sem percebermos, cumprimos rigorosamente todo o ritual que nos é imposto, sempre a caminho de obtermos o tal dinheiro. O mundo todo gira em torno do dinheiro, nossa vida gira em torno do dinheiro. Nem eu e nem você escolhemos para que seja assim: é uma situação que nos foi imposta, logo que nascemos.

Todas as pessoas do mundo participam da corrida pelo dinheiro. Mesmo uma singela criança, quando pede ao pai que lhe dê sua mesada, está participando do processo. Cada qual em seu ramo de atividade, desempenhando suas funções, está trabalhando para obter o dinheiro, com o qual poderá sobreviver e, tendo alguma sobra, buscar algum conforto adicional para sua vida, proporcional ao dinheiro adquirido. Nesse aspecto é que começam a ser observados alguns fatores relacionados ao ganho de dinheiro pelas pessoas. O primeiro deles é que nem sempre as pessoas mais inteligentes e capacitadas ganham mais dinheiro do que as menos dotadas intelectualmente. Ganhar dinheiro é uma questão ligada diretamente ao fator sorte. Existem milhares de pessoas mundo afora, altamente cultas, com um elevado grau de inteligência, que não ganham dinheiro compatível com sua capacidade, justamente por não terem contado com o fator sorte em suas vidas, enquanto que outras, talvez com níveis de inteligência abaixo da linha da normalidade, deleitam-se em rios de dinheiro, usufruindo de uma fonte inesgotável de recursos, justamente porque foram beneficiados pela sorte. Mesmo uma pessoa que tenha nascido pobre e que tenha enriquecido através de seu esforço e capacidade, em algum momento desse processo, inevitavelmente, teve que contar com a sorte. Se não fosse assim, todas as pessoas inteligentes desse mundo seriam ricas e não é assim que ocorre. O segundo fator é algo que frequentemente é observado no cotidiano das pessoas: quanto mais dinheiro se tem, mais dinheiro consegue-se gerar, e quanto menos dinheiro se tem, com menos ainda vai se ficando. Com suas devidas exceções, é uma regra que se mostra válida para um grande número de pessoas, o que acaba por atestar o poder multiplicador do dinheiro, quando este existe acima de uma determinada quantidade.

Adentrando nesse terreno, percebemos algumas injustiças. Imagine um professor de educação básica, uma pessoa que detém uma profissão essencialmente importante e crucial para o desenvolvimento das pessoas, uma pessoa que carrega sobre si a imensa responsabilidade de moldar o conhecimento e o comportamento de centenas de crianças e adolescentes que dependem de suas instruções e do conhecimento que transmite. Suponha que esse professor receba um salário bem acima da média do que recebe um professor no Brasil, algo em torno de dois mil reais mensais. Caso trabalhe durante toda sua vida, sem gastar um centavo sequer, ao final de trinta e cinco anos de labuta terá acumulado uma quantia em torno de novecentos e dez mil reais, já tendo adicionado seu décimo terceiro salário. Claro que não é assim que ocorre, mas esse raciocínio é válido para que se perceba a a falta de eqüidade que ocorre quando comparamos esse fato com, por exemplo, um cantor famoso de música sertaneja, que consegue em apenas uma semana ganhar o dobro do que ganharia esse professor em uma vida inteira de trabalho. O que dizer então de um astro de Hollywood, que ganha por filme, o que é equivalente a três ou quatro meses de trabalho, uma quantia que chega a ser sessenta vezes maior do que ganharia esse professor em toda a sua vida? Realmente, existe uma grande discrepância quando se fala em ganhar dinheiro. Poucos ganham muito, trabalhando pouco, e muitos ganham pouco, trabalhando muito. O que pode consolar esses últimos é que ainda existem coisas que o dinheiro não pode comprar, como uma boa saúde, uma vida harmoniosa em família, um amor verdadeiro e correspondido ou um filho fiel e presente. O dinheiro pode ser considerado como algo extremamente importante nesse mundo, um fator vital para toda e qualquer pessoa, mas ainda não conseguiu comprar a verdadeira essência que transcende a nossa existência, que é o nosso destino, indubitavelmete o mesmo para todos os que têm e que não têm dinheiro.


Próximo desabafo Desabafo anterior

VISUALIZAR DESABAFOS DE OUTROS ANOS

www.desabafodromo.com.br